einstein (São Paulo). 01/dez/2012;10(4):415-21.

Qualidade de vida e prevalência de dor osteoarticular em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica

Rute Grans, Cyntia Francesca Warth, José Francisco de Mattos Farah, Debora Pastore Bassitt

DOI: 10.1590/S1679-45082012000400004

Objetivo:
Analisar a qualidade de vida e observar a prevalência de dor musculoesquelética em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica.
MÉTODOS:
Estudo prospectivo, observacional e comparativo, incluindo 26 amostras, idade entre 18 e 60 anos, sendo 25 mulheres e compreendendo duas avaliações, uma pré-operatória e outra cerca de 42 meses após a cirurgia, com aplicação do Medical Outcomes Study 36-Item Short Form Health Survey (SF-36) e do Diagrama do Corpo Humano com Escala Visual Analógica. RESULTADO: As amostras apresentaram obesidade grau III, com predomínio de sobrepeso após cirurgia, hipertensão e diabetes presentes em 65,4% e 42,3% das amostras, com remissão da hipertensão em 50% e da diabete mellitus em 38,5% (p<0,001). O SF-36 evidenciou melhora da qualidade de vida, sobretudo nos aspectos relacionados à motricidade; vitalidade e saúde mental não apresentaram mudanças significativas. A dor osteoarticular esteve presente e foi apontada em diversos pontos pelos sujeitos da amostra; contudo, 87,5% dos pacientes no pré e 88,5% no pós-operatório relataram não ter realizado nenhum acompanhamento fisioterápico, enquanto 65,4% relataram fazer algum tipo de atividade física regularmente após a cirurgia (p<0,001).
CONCLUSÃO:
Obesos mórbidos apresentam alta probabilidade de sofrer com as alterações clínicas, psíquicas e musculoesqueléticas, comprometendo sua qualidade de vida e apresentando melhora após a cirurgia bariátrica; por outro lado, as manifestações psicoemocionais não tiveram a mesma evolução.

Qualidade de vida e prevalência de dor osteoarticular em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica

75

Comentários