O futuro da medicina nos tempos da inteligência artificial

Nesta edição do Lancet, Chilamkurthy et al. mostram resultados impressionantes usando máquinas capazes de aprender a interpretar tomografias de cabeça. A sensibilidade dos algoritmos usando estas máquinas foi comparável à interpretação de radiologistas experientes: a especificidade foi algo, mas muito pouco, menor. Esses algoritmos, no futuro, poderão ser mais rápidos e mais baratos que os médicos…

Ainda não foram feitos ensaios clínicos comparando diretamente o desempenho destes algoritmos e de médicos. Serão feitos, mais cedo ou mais tarde – provavelmente mais cedo. Para os que estudam medicina hoje, como será seu futuro? Terão que estudar e entender um pouco mais de estatística e trabalhar comparando informação de máquina com outras informações, além de avaliar a que melhor atende as necessidades do paciente.

A inteligência artificial substituirá os médicos? Provavelmente não – algoritmos não cuidam de gente. A inteligência artificial pode permitir aos médicos mais tempo de interação com pacientes – a arte da medicina. Para alguns médicos e, com certeza, os radiologistas, o mercado de trabalho vai mudar, e, para todos os médicos, a prática da medicina será muito diferente da que temos hoje.

 

Coiera E. The fate of medicine in the time of AI. Lancet. 2018;392(10162):2331-32. https://doi/10.1016/S0140-6736(18)31925-1.

O futuro da medicina nos tempos da inteligência artificial

Comentários