Todos as publicações de “Valdemar Ortiz”

3 results

Síndrome urofacial de Ochoa: reconheça o sorriso peculiar e evite complicações urológicas e renais graves

Atila Victal Rondon, Bruno Leslie, José Murillo Bastos Netto, Ricardo Garcia de Freitas, Valdemar Ortiz, Antonio Macedo Junior

DOI: 10.1590/S1679-45082015RC2990

A síndrome de Ochoa é rara, e seus principais problemas clínicos são frequentemente não reconhecidos. Descrevem-se aqui características faciais de seis pacientes para auxiliar profissionais de saúde a reconhecer o sorriso invertido que eles apresentam e encaminhá-los para o tratamento adequado. Os prontuários médicos foram revisados e a condição urológica dos pacientes foi reavaliada clinicamente. A média de idade na última avaliação foi de 15,5 anos, variando de 12 a 32 anos. O seguimento médio foi de 35 meses (12 […]

Medidas antropométricas como indicadores do estado nutricional em pacientes com espinha bífida submetidos a enterocistoplastia

Silvia Ferraz Ayrosa Ponte, Atila Rondon, Herick Bacelar, Eulalio Damazio, Sandra Maria Lima Ribeiro, Gilmar Garrone, [...]

DOI: 10.1590/S1679-45082013000200006

Objetivo:Utilizar as medidas antropométricas para comparar o estado nutricional em crianças com bexiga neurogênica secundária à mielomeningocele submetidas a enterocistoplastia àquelas não submetidas à cirurgia.MÉTODOS:Estudo tipo caso-controle conduzido em 20 crianças, divididas em dois grupos, aquelas que realizaram enterocistoplastia (Grupo A) versus crianças não operadas (Grupo B), pareados por gênero e idade. Os parâmetros utilizados foram peso, altura, circunferência do braço e prega cutânea triciptal. A avaliação nutricional foi determinada calculando-se índices baseados na idade e no gênero. A classificação […]

A tomografia de retroperitôneo normal em adolescentes com rabdomiossarcoma paratesticular afasta necessidade de linfadenectomia?

Eulalio Damazio, Eliana Caran, Valdemar Ortiz, Antonio Macedo Junior

DOI: 10.1590/s1679-45082011rc2008

RESUMOApresentamos o caso de um adolescente de 16 anos com rabdomiossarcoma paratesticular, submetido à linfadenectomia retroperitonial por tumor clínico estágio I (tomografia computadorizada retroperitonial normal), cujo resultado cirúrgico demonstrou três linfonodos aumentados e positivos para doença metastática; o paciente foi encaminhado para tratamento quimioterápico adjuvante. Este caso sugere que o protocolo Intergroup Rhabdomyosarcoma Study Group IV é questionável para adolescentes com rabdomiossarcoma paratesticular, e que a tomografia computadorizada de abdome negativa para linfonodos não deve afastar a necessidade de linfadenectomia […]