Todos as publicações de “Guilherme Fleury Perini”

5 results

Nem tudo o que brilha é câncer: criptococose pulmonar mimetizando linfoma na tomografia por emissão de pósitrons com [(18)] F fluoro-2-desoxi-D-glicose

Nelson Hamerschlak, Jacyr Pasternak, Jairo Wagner, Guilherme Fleury Perini

DOI: 10.1590/S1679-45082012000400018

Relato de caso de criptococose pulmonar mimetizando linfoma num exame de tomografia por emissão de pósitrons (PET-scan). Homem de 62 anos com resolução completa, ao PET-scan, de seu linfoma não Hodgkin de células B, lesões abdominais e pulmonares, após três ciclos de quimioterapia baseada em ritoximabe (R-CHOP). Entretanto, o mesmo exame mostrou também novos nódulos pulmonares, sugestivos de lesões do linfoma. Granuloma inflamatório crônico foi observado no exame anatomopatológico, com estruturas circulares compatíveis com fungo. Cultura revelou Cryptococcus neoformans. As […]

Linfoma de Hodgkin e gestação: série de casos e proposta de protocolo para tratamento

Carolina Kassab, Guilherme Fleury Perini, Patrícia Weinschenker Bollmann, Fabio Rodrigues Kerbauy, Nelson Hamerschlak

DOI: 10.1590/S1679-45082011RC1992

RESUMO O pico de incidência do linfoma de Hodgkin coincide com a idade fértil feminina, sendo atualmente a quarta neoplasia mais diagnosticada na gravidez. Entretanto, não existe consenso na literatura sobre como tratar essas pacientes, devido aos riscos da quimioterapia tanto para a gestante quando para o feto. Relatamos três casos de gestantes acometidas por linfoma de Hodgkin e realizamos a revisão de literatura com o objetivo sugerir um protocolo de tratamento para essas pacientes.

Uso de gemtuzumabe ozogamicina combinado com quimioterapia convencional em pacientes com leucemia mieloide aguda

Guilherme Fleury Perini, Fabio Pires de Souza Santos, Iracema Esteves, Claudia Mac-Donald Bley do Nascimento, Morgani Rodrigues, Reijane Alves de Assis, [...]

DOI: 10.1590/S1679-45082011AO1987

RESUMO Objetivo: Analisar a evolução de pacientes tratados com gemtuzumabe ozogamicina combinado à terapêutica convencional no Hospital Israelita Albert Einstein. Métodos: 14 pacientes que tinham alto risco (leucemia secundária, citogenética desfavorável e doença refratária) foram tratados com gentuzumabe ozogamicina associado à terapêutica convencional, e sua evolução foi analisada por meio de seus prontuários médicos. Resultados: A taxa total de resposta foi de 58%, com 43% chegando a resposta completa, em acompanhamento médio de 11 meses, e três meses com intervalo […]